quarta-feira, 1 de julho de 2020

A felicidade está nas pequenas coisas da vida, ela não está na tecnologia.


Em um futuro não tão distante, haverá mais clínicas para ajudar viciados em internet do que em álcool.

Em um mundo completamente tecnológico onde as pessoas ficam mais ligadas em telas de computadores ou de smartphones, a ansiedade e a depressão tem levado muitos ao completo isolamento. O mundo ilusório da internet, além da alta carga de energias negativas pela quantidade de brigas e discórdias aprofunda ainda mais o adoecimento dessa nova geração.

Dificilmente nossa sociedade para por alguns minutos para olhar a chuva cair, ou vislumbrar as árvores, tão pouco ouvem as belas canções dos pássaros, o importante é continuar na tela do smartphone.

Se pararmos para pensar crianças são educadas desde bebê a assistir as telas, outras não completa os seus 3 anos e já estão viciadas em jogos porque seus próprios pais não os controla e deixa as crianças no telefone ou tablet.

Não é hipocrisia, mas uma constatação, além desse século ser complexo estamos presenciando uma bolha de dependentes tecnológicos, só o futuro dirá o que irá acontecer quando essa bolha estourar.


Compartilhar: